Saturday, 8 August 2009

Tic-tac, tic-tac

A ansiedade é uma coisa que me consome. Literalmente, fisicamente, psicologicamente, emocionalmente e de todos os outros mentes que existem por aí. De acordo comigo e com as pessoas à minha volta, a minha ansiedade desencadeia pseudo-depressões-sem-motivo, doenças psicosomáticas, e talvez essa irritação absurda que eu não consigo controlar. Ela pode ter a ver também com a minha autoconfiança e auto-estima sempre abaixo de zero, e o fato de eu sempre achar que não tenho controle sobre a minha vida. A ansiedade me faz fazer planos pra saber qual é a próxima etapa, e me faz achar que se eu não tiver uma lista eu vou ficar perdida entre as coisas que eu acho que eu tenho que fazer e as coisas que eu realmente tenho que fazer. Agora, eu tô ansiosa pra terminar de escrever, tô ansiosa pra chegar semana que vem, tô ansiosa pro fim do ano. Nesse exato momento, eu tô ansiosa pra terminar de viver. E se me disserem que eu vou ter outra vida depois dessa. Meu Deus, aí eu vou morrer antes mesmo de começar.

4 .:

Tayane Scott said...

Companheira tudodebloguete, adorei o texto! Também faço parte do time dos ansiosos e, definitivamente, esse mal não deve ter cura. beijos

Jeniffer Yara said...

Somos três que que fazem parte do time dos ansiosos...e Nossa!!! [e muito chato ficar na ansiedade para aquilo que quero...que penso em ter e tal's...Aff ¬¬ como eu sempre digo...Se ansiedade matasse eu já estava morta á muito tempo...rsrs

Bjins...Bjins...Amei o texto *.*
;*

Isadora said...

Parece que você abriu meu cérebro e escreveu esse texto olhando pra ele. Porque eu sou totalmente assim!
Um plano atrás do outro, uma pressa pra que as coisas aconteçam.
Pior ainda é quando eu fico muito ansiosa pra algo e o acontecimento não corresponde com o que eu esperava. Daí eu fico mais ansiosa ainda pra tentar consertar... e começa o ciclo de novo.

Petýtta said...

Bom eu sou totalmente anciosa, sou do tipo que sempre tá pronta no horário marcado e odeio esperar, sem contar que minhas unhas são as maiores sofredoras desse meu modo de ser.