Saturday, 18 October 2014

Selected poems

Pela primeira vez eu estou onde quero estar. Quer dizer, eu nunca soube onde eu queria estar, mas eu sabia onde eu não queria estar e era exatamente onde eu estava. E eu percebi que o lugar certo é onde a gente para de desejar algo diferente. É onde a gente quer acrescentar em vez de tirar. É onde as coisas boas compensam as ruins.
Eu acho que são poucas as vezes na vida em que a gente vai estar nesse lugar. Tanto profissionalmente quanto socialmente e menos ainda emocionalmente. Acho que é por isso que a gente sabe quando acontece. Porque é um sentimento tão peculiar, tão "diferente de tudo o que eu já senti", que não tem como ser confundido com aquela satisfação momentânea de quando a gente deseja um sorvete de chocolate, mas na primeira colherada percebe que na verdade era o de baunilha.
E é aí que a sua vida começa a fazer sentido. É aí que você olha pra trás e vê que tudo pelo que você passou fez você chegar onde está e você aprende a não se perguntar mais o "porquê" das coisas e sim o "pra que" delas. É aí que você tem vontade de mudar o mundo. É aí que você se ama. É aí que você é feliz.
E então, você percebe que o lugar certo não é físico. Que outro país não te satisfaz, que ter dinheiro não te satisfaz, que ter alguém não te satisfaz. Não quando quem você é não te satisfaz. E é aí que a mágica acontece. É aí que você se encontra. É aí, que você chega lá.

Sunday, 20 April 2014

Too much blood

É um tormento estar tão confusa quanto eu estou agora. Tanto quanto eu sempre estive em todos esses anos desde que me lembro.
Que eu não estou cem por cento bem eu sempre soube. Que minha cabeça é uma bagunça eu sempre soube. O que eu não sabia é o quanto isso poderia afetar a minha percepção das coisas boas que estão presentes na minha vida.
A eterna mania de procurar problemas em vez de soluções, de desenterrar pessoas e lembranças que já deveriam ter sido esquecidas. Superar sempre foi difícil pra mim e eu cheguei a um ponto em que ou eu cruzo essa linha ou dou inúmeros passos pra trás em busca de nada além de uma vida que nem sequer existe mais.
Eu já estou um passo a frente de tudo o que vale a pena ter, mas ainda é um tormento estar tão confusa quanto eu estou agora. Ainda é um tormento. Ser tão burra a ponto de me permitir esse tipo de confusão.

Saturday, 3 August 2013

Skinny love

Você era tudo o que eu podia esperar de alguém. Tudo o que eu sempre quis pra mim. A possível pessoa certa, a que provavelmente aguentaria todas as minhas cismas e manias pelo resto da vida, a única com quem eu realmente achei que algo fosse funcionar. Eu me sentia como num filme adolescente e isso foi uma das melhores coisas que alguém já fez por mim. Você foi paciente, você foi gentil, você fez as coisas mais lindas que alguém poderia fazer. Você estava ali o tempo todo. Você ficaria ali o tempo todo. Você era tudo o que eu esperava de alguém e tudo o que eu sempre quis pra mim. Pena que eu só me apaixonei agora.

Monday, 18 March 2013

Old haunts

Acho que posso dizer que perdi tudo. Desde a minha inspiração até a minha vontade. Tudo simplesmente se foi e eu nem percebi. E agora quando eu olho pra minha vida, volto ao ponto em que não existe nada que eu realmente queira e tenha motivação suficiente pra buscar. Eu não sei mais o que é rir, o que é me divertir, o que é ser alguém agradável e com quem as pessoas gostem de estar. Não sei há muito tempo e só agora eu me dei conta do quanto ser quem eu era me faz falta.
Eu não sei se tem algo a ver com amadurecimento, decepções ou desilusões. A única coisa que eu sei é que eu não consigo aguentar tudo o que está dentro da minha cabeça, todas as decisões que preciso tomar, tudo em que eu preciso pensar. Ontem eu tinha dezoito anos e hoje acordei com quase vinte e um. E se alguém gravou essa parte da minha vida, por favor me empreste a fita, porque eu não vi nada acontecer.
Eu me perdi completamente e não sei nem por onde começar a procurar. Já tentei lugares, pessoas, palavras e nada. Nem em mim mesma eu consegui me achar. Talvez eu não soubesse quem eu realmente era. Talvez eu nem sequer tenha sido alguém.

Saturday, 9 March 2013

Blood loss

Sabe aquela sensação de que estão arrancando seu coração? Acho que eu preferia que realmente estivessem. Só assim eu não teria que sentir isso de novo.

Monday, 10 December 2012

I won't.

Eu só gostaria de fazer algo que fizesse alguma diferença.

Saturday, 17 November 2012

On the other side

Posso dizer que de uns tempos pra cá eu me afastei de todas as pessoas. Não é nada pessoal, eu simplesmente me esqueço de dar atenção à certas coisas. Esqueço que falaram comigo, esqueço de ligar, esqueço de manter contato.
Outra coisa que pega é que acho que não tenho mais paciência pra essa vida de vocês. Cansei de gente bêbada fazendo cena no bar, de gritarias no meio da rua, de conversas sobre coisas fúteis, das mesmas histórias de fim de semana, das mesmas pessoas nos mesmos lugares. Os anos passam e nada muda. Só que eu mudei. E não foi pouco.

Saturday, 8 September 2012

It hurts everytime

Eu sempre achei que fôssemos perfeitos um para o outro. Nunca imaginei que aconteceria tudo o que aconteceu nesse tempo em que ficamos juntos. Achei que nosso amor duraria pra sempre, que iríamos nos querer pra sempre, precisar um do outro sempre e fazer tudo pra que nada nunca acabasse com a gente. Não que isso tenha mudado, mas diminuiu. Talvez a gente simplesmente tenha se acomodado e não sinta mais a necessidade de viver tudo como vivíamos antes.
A verdade é que eu sinto tanta falta daquilo tudo. Do amor incondicional, da dependência, de como precisávamos nos falar o tempo todo, estar um com o outro o tempo todo, dos telefonemas que duravam a madrugada inteira, das cartas, das declarações de amor. Pra você, bastava falar comigo por mensagens, mesmo que nossos assuntos se resumissem a palavras de saudade e de eu te amo. E conversar comigo por vídeo era o suficiente pra te fazer ficar em casa num sábado à noite. Hoje não. Hoje você precisa de mais, quando deveria ser o contrário. Você diz que queria que eu estivesse com você, mas aparentemente não do jeito que eu sempre pude estar. Parece que se nao for físico, não é o bastante. E você não imagina o quanto isso me mata aos poucos.
Eu preciso de você mais do que nunca, mas isso é algo que às vezes não parece ser recíproco. Não que eu seja a melhor garota do mundo e nem a mais interessante, mas eu realmente tento. E eu sei que muitas das vezes eu sou irracional e tenho tendência a reagir de maneira exagerada em algumas situações, mas acredite, isso é só porque eu sou louca por você. E se tem algo que me deixa mais louca e irracional (num mau sentido), é achar que sua necessidade por mim diminuiu.
O que a gente tem é raro, eu sei disso e você também. São poucas as pessoas que encontram o amor da vida delas tão cedo como nós encontramos. São poucas as que têm certeza de como e com quem querem ter um futuro. E são muitas as que colocam isso a perder tão fácil como nós colocamos. A gente discute mais do que conversa e isso nos afasta muito mais do que nos aproxima. Eu só tenho medo de que chegue num ponto em que nós tenhamos mais lembranças ruins do que boas.
Se há um ano atrás me perguntassem como era o nosso relacionamento, eu diria que era perfeito e que com certeza todas as pessoas do mundo nos invejavam por isso. Atualmente, eu passo a maioria dos meus dias eu pensando seriamente se ainda temos salvação.
Eu tô disposta a fazer tudo funcionar de novo e eu espero que você também. Porque eu não aguento mais a maneira como as coisas estão entre nós. Não aguento mais não chorar por você como eu fazia antes. E eu sei que você também não chora mais por mim. Eu não aguento mais a indiferença que deixamos existir entre nós. Aquele famoso 'tanto faz' que sempre vem pra estragar tudo. Eu não aguento mais não ser mais a número um na sua vida, não aguento mais você se achando no direito de fazer o que faz só porque sua namorada tá trancada dentro de um lugar e não pode te dar atenção o tempo inteiro. Não é fácil pra nenhum dos dois e gostaria que você entendesse isso.
Eu quero de volta o comprometimento que tínhamos há um ano atrás. Quero a cumplicidade, a necessidade, a vontade. Eu quero tudo de novo, mas quero com você e ninguém mais. Então, por favor, vamos recuperar a confiança que tínhamos quando tudo começou. Porque se isso sempre foi a base de um relacionamento, o nosso está a um passo do fim. E eu sei que não conseguiria viver se a única coisa que me mantém viva acabasse.

Tuesday, 14 August 2012

Handwritten

A pior coisa do mundo é saber que a única pessoa do mundo que você precisa que acredite em você não acredita mais.
A segunda pior é saber que a culpa disso é inteiramente sua.